31.03.09

abelterium by rguerreiro74

(...)O Grupo "Abelterium", designação de Alter do Chão na época Romana, pertence à Banda Municipal Alterense, Colectividade que teima em provar que nesta vila, não há só cavalos célebres, mas também um Grupo de Música Popular Portuguesa com um passado nobre, um presente válido e com muita esperança no seu futuro.

Foi fundado em 21 de Setembro de 1995, por iniciativa de alguns músicos desta quase centenária "Casa de Cultura", tendo feito a sua estreia em 17 de Fevereiro de 1996,em Alter do Chão.

O Grupo tem por objectivo a recolha e a divulgação da Musica Popular Portuguesa, e procura transmitir nas suas actuações, a cultura, os costumes e tradições do nosso concelho e da nossa Região.

Actualmente é constituído por 15 elementos que cantam Música Popular de cariz tradicional, privilegiando os temas alentejanos, e tocam diversos instrumentos tradicionais, desde o cavaquinho, à flauta, ao bandolim, ao acordeão, ao adufe, à guitarra portuguesa, etc...

No ano de 2000 editou o seu primeiro CD denominado  "Tenho um Amor em Alter" e em Setembro de 2004 editou o seu mais recente trabalho discográfico com o nome " Coisas que eu gosto "

O Grupo "Abelterium" possui um repertório diversificado e aparelhagem de som própria, tendo já realizado vários espectáculos por todo o pais, participando em Festas populares, Feiras de Artesanato e Gastronomia e outros eventos culturais, sendo de realçar as suas actuações no Penta Hotel, no Hotel Altis, na EXPO/98 e nos programas televisivos da RTP "Praça da Alegria" e "Portugal no Coração", na T. V. I. "Olá Portugal" e "Vida é Bela" e no"SIC 10 HORAS" SIC). Em Fevereiro de 2005 deslocou-se ao Canadá, pela primeira vez.

 No ano de 2008 regressou novamente ao Canadá, para encantar a  "Casa do Alentejo" em Toronto, onde temos grandes amigos.

Já no ano de 2009 deslocou-se a França, para realizar uma germinação com a vila de Tourotte.(...)

Fonte: Bibliografia do Grupo "Abelterium".

tags:
publicado por RG às 05:38

29.03.09

gran_torino by rguerreiro74 

Uma excelente interpretação de Clint Eastwood num filme de grande sucesso nos EUA sobre a intolerância e a capacidade de redenção. 
Reformado e veterano da Guerra da Coreia, Walt Kowalski ( Clint Eastwood ) é um homem duro e preconceituoso que preenche os seus dias com a reparação da casa, a cerveja e as visitas mensais ao barbeiro. Os seus vizinhos faleceram ou mudaram-se, tendo sido substituídos pelos Hmongs, imigrantes do Sudeste asiático, que ele despreza. Uma noite, alguém tenta roubar o seu automóvel, um Gran Torino de 1972. É o seu vizinho adolescente Thao ( Bee Vang ), pressionado por um gang da sua etnia. No entanto, Walt defende o rapaz, o que o torna o herói do bairro, especialmente para a mãe de Thao e para a irmã mais velha, Sue ( Ahney Her ), que insistem que Thao trabalhe para Walt como forma de se redimir. Inicialmente, Walt não quer ter nada a ver com essas pessoas, mas algum tempo depois coloca Thao a trabalhar, o que origina uma amizade improvável que vai mudar as suas vidas. Graças à bondade da família de Thao, Walt finalmente compreende algumas verdades sobre as pessoas que ele não considerava vizinhos e também sobre ele próprio. Essas pessoas têm mais em comum consigo do que ele tem com a sua própria família.
Um drama que Clint Eastwood protagoniza como se fosse um velho Dirty Harry, tendo obtido o reconhecimento da crítica e alguns prémios de interpretação. Apesar disso, e do grande sucesso comercial, não foi nomeado para os óscares. A canção que dá título ao filme foi nomeada para o Globo de Ouro da Melhor Canção Original.

Realizador Clint Eastwood
Actores Clint Eastwood, Bee Vang, Cory Hardrict, Geraldine Hughes, John Carroll Lynch, Ahney Her
EUA - Drama

publicado por RG às 23:47

21.03.09

 

bahai by rguerreiro74

O Naw-Rúz é um dos nove dias sagrados na Fé Bahá'i, é o primeiro dia do calendário bahá'í, que ocorre no equinócio de inverno no hemisfério norte - dia 21 de Março.

Historicamente e actualmente, esta é uma celebração Iraniana de ano novo e é comemorada nos países do Médio Oriente e na Ásia Central como no Irão, Azerbaijão, Afeganistão e Turquia. Em tempos antigos foi feriado nacional no Irão e celebrado por mais de um grupo religioso. O Báb, precursor da Fé Bahá'í, e depois Bahá'u'lláh, fundador desta religião, adoptou o dia como sagrado e associou com o Máximo Nome de Deus.

O Báb, fundador da Fé Babí, instituiu um calendário novo que fosse composto por 19 meses, e cada um de 19 dias. Cada um dos meses são nomeados através de um atributo de Deus, e similarmente cada um dos dezanove dias no mês também são nomeados através de um atributo de Deus. O primeiro dia e o primeiro mês foram dados o atributo de Bahá, uma palavra árabe que significa "Esplendor ou Glória", e assim o primeiro dia do ano foi o dia de Bahá no mês de Bahá. O dia foi chamado de o Dia de Deus pelo Báb, e foi associado com "Aquele que Deus tornará Manifesto", uma figura messiânica nos escritos do Báb. Os dezoitos dias restantes do primeiro mês foram então associados com os dezoitos Letras da Vida, os apóstolos do Báb, prevendo uma celebração que duraria dezenove dias.

Bahá'u'lláh, que em árabe significa "Glória de Deus", afirmou ser a figura messiânica esperado pelo Báb, adoptou o novo calendário e o uso do Naw-Rúz como dia sagrado. O dia segue o mês Bahá'í do jejum, e ele explicou que o Naw-Rúz estava associado com o Máximo Nome de Deus, e foi instituído como um festival para aqueles que observaram o jejum. A noção simbólica da renovação do tempo em cada dispensação religiosa foi feita explícita pelos escritos do Báb e de Bahá'u'lláh e o calendário e o ano novo fizeram esta metáfora espiritual mais concreta. Abdu'l-Bahá, que em árabe significa "Servo de Bahá", filho e sucessor de Bahá'u'lláh, explicou o significado do Naw-Rúz em termos da primavera e da nova vida que ele traz. Ele explicou que o equinócio é um símbolo dos Manifestantes de Deus, que inclui Krishna, Moisés, Jesus, Buda, Maomé, o Báb, Bahá'u'lláh entre outros, e a mensagem que eles proclamaram é como uma primavera espiritual, e que o Naw-Rúz é usado para celebrá-lo.

Naw-Rúz é um dos nove dias sagrados Bahá'ís onde o trabalho é suspenso; o único que não é associado com um evento nas vidas do Báb ou de Bahá'u'lláh. É normalmente um evento festivo observado com encontros para orações, músicas e dança. Como o ano novo também termina o mês de jejum Bahá'í a celebração é frequentemente combinada com um jantar.

Bahá'u'lláh no Kitáb-i-Aqdas (Livro Central da Fé Bahá'i)define o Naw-Rúz como um dia Bahá'í no qual o equinócio vernal ocorre. Como os dias Bahá'ís começam com o nascer do sol, se o equinócio ocorrer antes do pôr-do-sol , o dia com o pôr-do-sol anterior é o Naw-Rúz. Assim o Naw-Rúz pode cair entre os dias 20, 21 e 22 de Março. A implementação do tempo exacto do Naw-Rúz para os Bahá'ís ao redor do mundo depende da escolha de um ponto particular na terra e foi deixada na decisão da Casa Universal de Justiça, o corpo máximo da Fé Bahá'í.  Atualmente o Naw-Rúz é fixado no dia 21 de Março para os Bahá'ís que residem em países fora do Médio Oriente, independente de quando ocorre o equinócio.

Se pretendem mais esclarecimentos sobre os princípios, a história e os ensinamentos da Fé Bahá'i, recomendo-vos a visitar o site da Comunidade Bahá'i de Portugal, cujo endereço é: www.bahai.pt ou a visitar o blog Povo de Bahá, que está linkado a este blog cujo endereço é: povodebaha.blogspot.com.

tags:
publicado por RG às 15:36

13.03.09

 

aviso by rguerreiro74

Ora aqui está uma indicação bastante evidente de boas-maneiras e civismo para todos os cidadãos deste país. Assim Portugal fica mais "limpinho", e sem lixo espalhado pelo chão. Ah como eu sou "defensor ferrenho" deste tipo de atitudes; fico mesmo danado quando vejo pessoas a deitar lixo para o chão, em vez de colocarem nos caixotes e nos contentores. Precisamos de um país mais limpo e de uma população com um atitudes mais cívicas (a começar pela classe governativa e pelas elites, pois isso depois reflecte-se na resto da população)  - e quanto mais cedo se começar, melhor.

Recordo-me de uma campanha publicitária que passou na televisão no princípio dos anos 90, intitulada "PORTUGAL É DE NÓS TODOS!", que contou com a participação de figuras públicas bem conhecidas tais como Nicolau Breyner, Herman José. Essa campanha tinha um refrão bastante interessante que era o seguinte:

Portugal é de nós todos, não julgues que alguém te o deu;

Portugal é de nós todos, Portugal não é só teu.

Abraços.

RG

Fotgrafia tirada perto de um jardim público em Castro Marim, no Algarve.

publicado por RG às 23:46

 

 

 

 

 

tarouca_08 by rguerreiro74tarouca_06 by rguerreiro74

tarouca_04 by rguerreiro74tarouca_03 by rguerreiro74

tarouca_02 by rguerreiro74tarouca_01 by rguerreiro74

Fotos tiradas nas ruínas do espaço exterior do Mosteiro de S. João de Tarouca.


 

socrates_cartaz by rguerreiro74

E muito menos para jovens!!!

Grafismo e Foto-montagem de RG

tags:
publicado por RG às 12:06

 

horto_jardim_camoes by rguerreiro74

Foto tirada em Constância, no "Horto-Jardim de Camões".

publicado por RG às 02:51

 abrantes_04 by rguerreiro74abrantes_03 by rguerreiro74

abrantes_02 by rguerreiro74abrantes_01 by rguerreiro74

 

 

Fotos tiradas na ruas pedonais da cidade de Abrantes.

publicado por RG às 02:38

12.03.09

 

 

burrito_01 by rguerreiro74burrito_02 by rguerreiro74

E quando quero ver aquele amor meu

Eu pego no burrito e lá vou eu....

Burrito, ai, ai burrito: coitadinho, pois este está muito mal cuidado.

 

Fotos tirada algures na Beira Alta.

publicado por RG às 02:31

 concha by rguerreiro74

 

Para gerar outra vida, a concha recebe a areia, que incomoda, e fere, e magoa, mas que, por defesa e ânsia de criação, a ostra envolve com camadas e camadas de Nácar puro...
(Como proteção, envolve o mínimo grão com sua melhor produção...)

E este, ínfimo grão mutante, de mais um entre milhares torna-se único.
Aquele que, burilado pelo tempo e pelo esforço, pelo contínuo trabalho,
pelo doar-se constante de sua agora origem, torna-se pérola...
Que se mostra, e vive, e brilha, apenas e tão somente quando a concha se abre...
Ouse, nesta vida, ser concha!
Permita-se, nesta vida, ser pérola!
Quando alguém te magoar ou te ferir, revista-se da mais preciosa jóia de Deus: cubra-se de amor e ternura.
Se seguirmos o exemplo da concha, o ódio não terá como se desenvolver,
mais o amor se estenderá e será o revestimento mais belo e precioso que
será dado em troca de toda areia da vida que venha nos ferir.

 

Autor Desconhecido

tags:
publicado por RG às 01:49

Um Blog de RG
mais sobre mim
Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
14

15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27
28

30


arquivos
2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


links
pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO